Conversa com a cineasta Ana Fernandes

Cineasta cabo-verdiana Ana Fernandes

A vida é demasiada curta para a desperdiçarmos com coisas que não nos interessam”. Foram palavras proferidas pela cineasta cabo-verdiana, residente na Alemanha, Ana Fernandes no encontro com os alunos do curso de Comunicação e Multimédia, sexta-feira, dia 04 de Maio, no Campus do Palmarejo da Uni-CV. Há alguns meses, quando publiquei neste blog que “Ruido do Mar” estava entre os 10 melhores filmes de curta-metragem seleccionados para o Óscar de 2012, não imaginava que ela poderia vir à universidade para conversar com os alunos. Num encontro informal, muito íntimo, tivemos a oportunidade de descobrir a cineasta, que se fez acompanhar por Januário Nascimento e Marcelino Fortes (ADAD) e Júlio Silvão Tavares (Associação do Cinema e Audiovisual).

Anúncios
Conversa com a cineasta Ana Fernandes

Filme caboverdiano entre os 10 melhores filmes para o Oscar

A curta metragem « O  Ruído do Mar», da cineasta caboverdiana, Ana Fernandes encontra-se entre os 10 melhores filmes para o Óscar . Passou à  segunda fase no processo de selecção dos nomeados pela Academia.  No dia 24 de Janeiro irão ser divulgados 3 dos 10 filmes nomeados, que participarão na entrega do Óscar, no dia 26 de Fevereiro.

Sobre o filme:

O RUIDO DO MAR
Cabo Verde, 2010, Ficção, 26′, 35mm
Realização: Ana R. Fernandes, Torsten Truscheit
Produção: Marcus Machura, Thomas Reisser
Sinópse: Um jovem africano se encontra ilegalmente na Europa. Na prisão ele rejeita comer, falar e renuncia declarar a sua identidade. O guarda que o observa, descobre uma miuda escondida no amuleto do seu colar. O guarda pressente que algo de anormal se passa e que não se trata de um prisioneiro comum. Nesta triste atmosfera da prisão desenvolve pouco a pouco uma amizade entre o prisioneiro e o seu guarda. O Jovem africano conta-lhe da sua odisseia a Europa e do motivo que o levou a fazer essa viagem ilegalmente. Embora a realidade desses dois homens se difere totalmente um do outro, existe um ponto comum, algo  que os liga: a perda de uma pessoa amada. O guarda resolve ajudar esse prisioneiro, correndo o risco de perder o seu trabalho. Mas ele não tem muito tempo, pois já não se pode parar a maquinaria da deportação.

Filme caboverdiano entre os 10 melhores filmes para o Oscar